Lápis x Lapiseira – Qual a diferença?

Lápis x Lapiseira – Qual a diferença?

Confira para qual atividade cada item é mais indicado.

Seja para escrever, desenhar ou qualquer outra atividade, onde apagar é necessário, ou ao menos uma opção, o lápis e a lapiseira são indicados. No entanto, existem algumas atividades mais específicas e definições que diferenciam cada um dos itens.

Caso você ainda não saiba diferenciar as aplicações e especificidades do lápis e da lapiseira, confira abaixo uma explicação bem detalhada de cada item:

Lápis

Antes de qualquer tipo de aplicação, é importante salientar que existem muitas opções que apenas o lápis escolar, alterando questões como a cor e a rigidez da grafite, sendo definidos da seguinte forma:

  • Lápis Categoria B: São os possuem uma grafite mais escuros;
  • Lápis Categoria H: São os que possuem a grafite com uma rigidez maior;
  • Lápis Categoria F: São os que possuem a grafite mais fino, o que gera uma ponta fina;
  • Lápis Categoria HB: Conta com grafite de uma rigidez e cor intermediária.

Em termos de grafite, a variação funciona de modo que, quando o lápis possui uma rigidez maior, os seus traços são mais escuros, enquanto os traços mais acinzentados possuem a grafite mais macia. Em uma escala, ordenando do lápis mais escuro e preto aos mais claros e acinzentados, fica da seguinte forma:

9H > 8H > 7H > 6H > 5H > 4H > 3H > 2H > H > F > HB > B > 2B > 3B > 4B > 5B > 6B > 7B > 8B > 9B

Devido a tamanha variedade, os lápis são mais indicados para produções artísticas, como desenhos, onde é possível detalhar diversas variações de sombras e luzes.

Quanto ao lápis escolar, ainda que tenha os seus adeptos, requer alguns cuidados, já que quedas ou batidas frequentes, acabam por quebrar a grafite internamente, comprometendo o item.

Lapiseira

Diferente do que ocorre nos lápis, onde a variedade se dá na rigidez e cor dos traços, a Lapiseira se difere devido à espessura dos grafites, que são medidas em milímetros, indo das mais finas às mais grossas. Em uma escala, ordenando a grafite, da mais fina a mais grossa, fica da seguinte forma:

0.2 mm < 0.3 mm < 0.5 mm < 0.7 mm < 0.9 mm < 2 mm

Ou seja, para quem possui um traço mais delicado, com linhas finas e sem muita sujeira de grafite, são indicadas as lapiseiras mais finas, como a 0.2 mm e 0.3 mm. Mas se engana quem acredita que a lapiseira não pode ser utilizada em desenhos, estes mesmos modelos finos são amplamente usados em desenhos técnicos e também nos artísticos, principalmente para fazer texturas e cabelos.

Para as atividades educacionais, seja na escola ou faculdade, as lapiseiras mais indicadas são a de 0.5 mm e 0.7 mm, já que também possuem traços relativamente finos e bonitos, mas são mais resistentes que as menos espessas. Alguns cursos, como arquitetura e design, as grafites 0.9 mm e 2 mm são mais utilizadas.

Outro ponto a favor da lapiseira é para quem gosta de personalização e organização nos textos, já que é possível encontrar grafite colorido, normalmente vendido em caixas com um conjunto de cores primárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.